Ribeirão Preto, 27 de Julho de 2017

degeneração macular

DMRI é uma patologia ocular muito comum, associada ao envelhecimento, que aos poucos vai comprometendo a parte central da visão, a mácula. A mácula é responsável pela percepção de detalhes que nos permite ler, dirigir e reconhecer pessoas. Se a mácula começa a ser afetada, áreas no centro do nosso campo de visão passam a ficar borradas.



Sintomas
A progressão da DMRI pode ser lenta ou rápida, dependendo do tipo de lesão, mas a perda da visão central geralmente ocorre no período de alguns anos. Portanto, se você notar qualquer das alterações listadas a seguir, procure-nos sem demora para uma avaliação completa de sua condição ocular:
- Linhas retas parecem sinuosas
- Dificuldade em ver à distância
- Dificuldade de distinguir cores
- Dificuldade de ver detalhes, como rostos ou palavras em um livro
- Pontos pretos ou vazios bloqueiam a sua visão central



Tipos de DMRI
Forma Seca: É o tipo mais comum, acomete 90% das pessoas com DMRI. Geralmente progride lentamente, causando perda progressiva da visão central.
Forma Exudativa: Mais rara, e mais severa. Pode progredir rapidamente, causando perda súbita e significativa da visão central.

Como previnir?
1) Faça check-ups regulares de sua condição visual. A detecção de doenças antes que elas causem sintomas é a melhor forma de prevenir a perda da visão.
2) Proteção UV-A e UV-B. Sempre use óculos escuros que tenham 99-100% de bloqueio dos raios ultravioleta.
3) Nutrição balanceada. Aumento da ingestão de zinco e antioxidantes pode diminuir a velocidade de progressão da degeneração macular.

Como tratar?
Forma Seca: Quando diagnosticado precocemente, suplementos vitamínicos comprovadamente diminuem a velocidade da evolução da doença e sua gravidade.
Forma Exudativa: Apesar de acometer apenas 10% das pessoas com DMRI é responsável por 90% da cegueira causada pela doença. Dentre os tratamen- tos disponíveis estão o laser de retina, a terapia fotodinâmica e os novos e promissores tratamentos com injeções de medicações anti-VEGF (que inibem a proliferação de neovasos e, consequentemente, de exudações e sangramen- tos).

Saiba mais sobre os novos tratamentos com anti-VEGF (Avastin, Macugen, Lucentis) aqui.

Topo

Facebook - Instituto Reynaldo Rezende
Desenvolvido por ARZ